Reprovação: 5 dicas para superá-la

*ATENÇÂO* Cuidado antes de ler! Aqui vão três palavras que podem causar traumas profundas em concurseiros… Preparados? Estas três aqui: “E aí, passou?”.  A pergunta, na maior parte das vezes, pode despertar de mágoa a depressão quando a resposta é negativa. Não se deixe abater por isso! Saiba que o concurseiro tem que ser, antes de tudo, um forte. Mas como lidar com a reprovação, ainda mais quando ela ocorre por poucos décimos? O problema tende a se agravar se passar muito tempo e o concurseiro tentar, tentar e tentar sem ser aprovado. E agora? Como resistir à tentação de desistir de tudo? Veja algumas dicas a seguir.

  1. Assuma seus erros que causaram a reprovação 

Não se faça de vítima. Você não é um “coitadinho” porque não passou, é um concurseiro na luta, passando pelo processo normal. Se continuar focado, você poderá perder batalhas, mas ganhará a guerra.

Quando você se vitimiza, deixa de acreditar que tudo depende de seu esforço e dedicação e passa a crer que fatores externos estão te puxando para baixo. É como se o jogo já estivesse decidido antes mesmo de começar. “Ah, não vou passar mesmo! Fulano passou muito mais rápido do que eu!”. Não faça isso consigo mesmo. Tire esse tipo de pensamento da sua cabeça, não se compare a ninguém. Porque se você seguir por esse caminho, o resultado será que você estudará menos, sem vontade e aí sim, se não tomar cuidado, poderá ir para baixo. Evite essa queda!

Assuma seu resultado se for bem, assuma seu resultado se for mal. Só assim, trazendo pra si a responsabilidade, você terá força para lutar até alcançar a posição desejada.

  1. Aprenda com seus erros após uma reprovação 

Antes de mais nada, tenha em mente que concursos são um projeto de médio a longo prazo. Nada é pra já. Reprovou? Pare respire e repense. “Onde foi que eu errei?” Esse é o momento de analisar seus pontos fracos e traçar estratégias para fortalecê-los. Faltou se dedicar a determinada matéria? Faltou estudar e resolver mais exercícios de provas anteriores? Você ficou muito nervoso na hora da prova? Qualquer que seja o problema, haverá uma solução para ele.

  1. Mude seu enfoque ao estudar

“Nossa, nem jantei, varei a noite, estudei direto, só parei de manhã, foram 12 horas!” Que ótimo, não? Você está medindo seu progresso por horas estudadas. Bem, desculpe estragar sua alegria, caro concurseiro, mas você está fazendo isso errado. Em vez de se matar para estudar horas e mais horas, fazendo sacrifícios desnecessários (não esqueça, já há muitos sacrifícios necessários nessa luta, não precisa acrescentar mais), você deve reprogramar sua mente e pensar diferente.

Antes de começar a estudar, foque no resultado que deseja alcançar  e passe a estudar por metas. Por exemplo, “só vou parar quando entender determinada lei”. Depois, passarei para a próxima. Ou, se a matéria for Português: “meu objetivo agora é dominar concordância verbal, e assim por diante.

Essa é uma maneira de deixar sua atenção e seu foco afiados como um laser e de reduzir a quase zero a dispersão, coisas que não acontece se você decide “dar uma geral em todo o conteúdo”, por exemplo.

Em resumo: foque nos conteúdos a serem assimilado, não nas horas que passa com o bumbum na cadeira!

  1. Seja humilde e não tenha vergonha de pedir ajuda

É, meu amigo, por mais que a luta do concurseiro seja solitária, envolvendo a solidão de não falar com ninguém enquanto você fica com a cara enfiada nos livros, é preciso se conscientizar de que ninguém vai muito longe sozinho. Assim, não hesite em procurar outros concurseiros para compartilhar dicas e experiências. Até sobre reprovação! Há diversos grupos no Facebook voltados para isso, com troca de exercícios e conhecimentos. Mas atenção: pirataria é crime. Verifique a procedência e os direitos autorais de qualquer conteúdo compartilhado e seja criterioso ao aceitar material.

  1. Não desista do seu sonho

Essa frase é um clichê? É, mas não deixa de ser verdade. Só alcança quem persiste. Então, jamais duvide de sua capacidade.

E retomando a pergunta que abre o texto lá em cima: “E aí, passou?” Ainda não! Tenha isso em mente. É questão de tempo, dedicação, paciência. Reprovação não mata e enquanto há vida, há esperança.

Outros obstáculos: cobrança dos pais após uma amarga repovoação? Ou cobrança do namorado/namorada doido pra ver você alcançar a estabilidade pra poder casar? Tudo a seu tempo. Não deixe que nada disso te puxe para baixo, ao contrário, pense na alegria de todas as pessoas que realmente gostam de você quando alcançar sua meta e foque nisso. Lembre-se: tudo na vida tem etapas. Muitos concurseiros passam por uma aprovação em cargo de ensino médio antes de galgar o degrau que desejam e ir para um cargo que exige curso superior. Pense nisso: degraus e etapas.

Mas lembre-se (agora vem a parte mais objetiva  e “pé no chão” desta nossa conversa): sonhar não basta. Não se esqueça de cultivar o saudável hábito de resolver provas de concursos anteriores e de conhecer muito bem a banca examinadora que vai encarar. Cada banca tem seu estilo, você tem que pensar como um estrategista que antecipa os movimentos do adversário, isto é, que já tem que conhecer as ciladas e o estilo de questões de cada banca.

E, acima de tudo, não esqueça do AINDA: “E aí, já passou?” Resposta: “AINDA não – mas vou passar!”

Sucesso!

*LEIA A SEGUIR: É possível estudar para vários concursos ao mesmo tempo? 

Ou acesse outras dicas e artigos clicando aqui