5 dicas de autocontrole emocional para concurseiros

Um nervosismo exagerado pode atrapalhar até alguém que sabe toda a matéria, impedindo-o de raciocinar. E de lembrar do que estudou. Será que isso tem conserto?

Tem. Confira as dicas a seguir:

  1. Aprenda a respirar

Como é que é? Respirar todo mundo sabe desde que nasceu. Saber, sabe, mas não quando está ansioso ou estressado. Por isso, vale a pena aprender a ter consciência e controle da própria respiração. Perceba que, quando você está ansioso, respira mais depressa. Acredite, isso “informa” ao seu cérebro que você está numa situação de perigo. Se você aprende a controlar sua respiração e consegue diminuir o ritmo, você mesmo, conscientemente, conseguirá acalmar seu próprio organismo.

E como faz? Uma dica de especialistas é expirar utilizando o dobro do tempo da inspiração. Ou seja, expire (sopre o ar para fora) duas vezes mais devagar do que inspira. Experimente agora mesmo!

  1. Administre melhor o tempo para família

A pressão dos parentes não pode ser controlada, mas pode ser administrada. Nem sempre as pessoas próximas de você entendem sua necessidade de enfiar a cara nos livros e “sumir” para atingir seus objetivos. Por isso, é comum que eles fiquem tentando te convidar para estar com eles. Ou até que façam algum tipo de “pressão psicológica” ou “chantagem emocional”. Mas existem dois passos simples que vão ajudar você a resolver esse problema.

O primeiro envolve o aspecto externo, ou seja, os próprios familiares. Sente com eles para uma boa e franca conversa e abra o jogo: passar em concurso é difícil, mas é o sonho da sua vida. E quem não estuda, não passa. Simples assim. Se eles te amam de verdade, vão compreender. E com certeza, ama.

A segunda medida para lidar com essa situação tem a ver com autocontrole mental. Isso mesmo. Você deve aprender a “fechar” a janela quando aparece uma mensagem na sua cabeça, como se estivesse navegando na internet. Amanhã é aniversário da tia? Fecha a janelinha e estuda. Você não passa mais tempo com sua mãe como passava? Fecha a janela e foca. Seus primos estão na cidade e querem te ver? Fecha aquela janela e tome de estudar.

Esse simples exercício mental de visualização pode te ajudar muito. E é claro que não serve só para os familiares, mas pode ser aplicado a todas as formas de distração.

  1. Faça uma simulação da prova

Faça como um atleta: treine. Treine. Treine. E depois treine mais um pouco. No seu caso, não se trata de fazer flexões nem nada disso, mas sim provas. E em situações reais. Mesmo que uma vaga aparentemente não seja o que você quer, vale muito a pena você testar seus nervos e sua concentração fazendo a prova para aquela vaga. Isso aumentará seu autocontrole e sua autoestima. Além disso, se você passar, reforçará sua certeza de que SIM, é possível chegar lá.

É claro que, se você não quiser gastar com inscrições de concursos que na realidade não são de seu interesse, poderá fazer muitos exercícios e simulados. De tanto fazer, desenvolverá uma espécie de “piloto automático” e treinará seu cérebro para sair resolvendo toda vez que se deparar com questões como essas. Estando tenso ou não.

  1. Faça exercícios para o concurso público!

O equilíbrio emocional não será possível sem que você cuide de sua parte física. É por isso que é tão importante não perder noites de sono, embora “varar a noite estudando” seja uma tentação. Também é fundamental a prática de exercício físico moderados, que vão regular seus níveis de cortisol, um hormônio que ajuda a diminuir seu stress e sua ansiedade.

Estudos da University of Illinois, EUA, por exemplo, indicam que a prática aeróbica está associada ao desenvolvimento de partes do cérebro ligadas à atenção e à memória. Ou seja, justamente o que você precisa para estudar e par alembrar do que estudou depois.

E se você tem todo esse bem estar físico, é claro que sua parte emocional se beneficiará e você terá muito mais equilíbrio em seu dia a dia.

  1. Lazer de concurseiro – sim, isso existe!

Sim, a vida seria impossível e exaustiva sem pausas e divertimentos. Focado não quer dizer “escravizado”. Por isso, não abra mão do que você gosta. Sejam filmes, séries, pedalar sua bicicleta… Mas claro, em horários certos e só quando sentir aquela sensação de “dever cumprido”, quando já cumpriu uma etapa do seu cronograma de estudos, por exemplo. Diversão, mesmo em pequenas doses, é essencial para seu equilíbrio emocional. Isso vai prevenir uma crise muito maior, que poderia acontecer se você “surtasse” de tanto estudar. Divirta-se! Com moderação.

*Curtiu? Tem mais dicas AQUI!